O Ford Maverick em minha vida! – Parte III

6cc_1973Mudança de planos. Novo Projeto!

Depois de várias tentativas mal sucedidas de 1998 a 2010 resolvi mudar radicalmente o foco do meu projeto.

Para isso, trouxe tudo que fosse compativel do USA para colocar no carro.

Na época eu só queria que o carro ficasse com um visual mais agressivo e com peças de alta qualidade na mecânica e sobretudo no acabamento.

Não foi fácil mas o resultado valeu a pena!

2011

E para que isso fosse possível dei uma de maluco. Peguei um Vectra 2004 GLS e torrei ele para gastar no Maverick. E ainda foi necessário na época mais 8mil reais pra finalizar.

Mandei desmontar o carro, catar uns podres e pintar.

Essa missão ficou a cargo do meu amigo Fernando da Sidrax Car.

Paralelo a isso comprei inúmeras peças no USA como tapetes, pinos, limpadores cromados, antena, guarda sol, emblemas, retrovisores com regulagem interna, cintos, puxadores, fechaduras, lanternas traseiras do Comet e outros itens.

Aqui no Brasil eu comprei capas novas dos pedais, chave de seta, volante Walrod XK 380mm, borrachas e outras miudezas

E finalmente pude realizar um dos meus sonhos que era colocar o ar condicionado.

E de novo, peguei o carro e fui nos meus amigos Evandro e Evaldo da Piralho Maverick – RJ para buscar o kit de ar condicionado.

O desgraçado do GPS mais uma vez me colocou numa roubada e peguei a avenida Brasil e quando assustei já tava quase chegando em Angra.

A instalação do ar condicionado ficou a cargo do meu amigo Egmar da Vale Ar.

E com o carro pronto, mais uma vez resolvi fazer uma maluquice.

Na época era moda o pessoal colocar aquelas saias SVO nos modelos duas portas.

E na ânsia de querer colocar este item mandei fabricar uma saia dessa para o 4 portas.

E passados alguns dias descobri que ficou uma bosta e novamente enfiei dinheiro no cú.

Até hoje estas saias estão jogadas num canto lá em casa e minha mãe vive falando que vai jogar fora.

2012

No ano de 2012 foram realizadas a mudança de alguns itens como a troca dos manômetros de ponteiro por uns de led da marca Guster.

Também fiz a troca das lentes da grade americana de alaranjadas por transparentes (clear) e troquei os cintos pelos modelos Five Star.

E ainda fiz a colocação dos braços de reforço IMOHR com a ajuda do meu amigo Frango.

2013

Em 2013 continuei com as minhas mudanças e desta vez foram três mudanças maravilhosas.

A primeira foi a colocação de novas rodas americanas do modelo Boss 338.

Em seguida foi a colocação da tranca elétrica original americana.

E para essa missão eu contei com meu amigo Felipe da Auto Elétrica Ideal

E consegui o tão sonhado acabamento entre colunas que só saiu numa edição limitada do Maverick no USA.

2014

Esse foi o último ano de grandes mudanças no carro.

Dessa vez, já o Brasil ja caminhava para uma quebradeira desgraçada caso a vagabunda Dilma se reelegesse e fiquei como medo do dolar disparar e consegui a tempo comprar o restante das coisas que eu queria.

Fiz a troca do maldito radiador de ferro por um de aluminio da Champion Cooling System, coloquei o emblema do touro (paguei uma fortuna neles) e fiz a maluca troca das lanternas do Comet pelas lanternas do modelo Torino GT Super Sport 72.

Também troquei o isqueiro, tampa do tanque e 100% da suspensão dianteira por peças americanas da World Suspension, AC Delco, TRW e Monroe.

 

E por último consegui finalmente dar fim naquela maldita caixa evaporadora xing-ling.

Eu passei uns dois meses pesquisando para descobrir qual caixa evaporadora tinha as dimensões comparadas com a xing-ling e principalmente com a saída do gás do lado esquerdo.

Olhei de vários carros entre eles do Mustang, da linha Mopar e Chevrolet.

Até que encontrei a caixa modelo MARK IV que ficou excelente.

Depois de muita pesquisa, consegui uma usada em bom estado e completinha me custando na epoca com frete e imposto cerca de 950 reais.

Novamente, recorri ao meu amigo Egmar da Vale Ar para a substituição daquela porcaria que além de zoeirenta, muito frágil que em menos de um ano ja tinha quebrado as paletinhas do difusor devido ao plástico vagabundo que a mesma é feita.

Foi feita a limpeza, testes, encurtamento e clipagem de uma mangueira concluíndo a instalação.

Porém, ao ligar apresentou barulho no rolamento e eu consegui comprar um motor da caixa no USA na época por míseros 60 dolares com frete.

Devido ao estilo cromadão da caixa americana ela ficou perfeita no carro.

Quanto a caixa xing-ling dei ela pra menino brincar e depois ela sumiu. Acredito que a minha mãe jogou fora.

2015

Nesse ano já com o Brasil indo para o buraco, consegui na bacia das almas trazer do USA o rádio americano.

Esse rádio foi a maior canseira da minha vida.

O rádio chegou e descubro que a lateral do painel era menor que o rádio.

Ficamos eu e meu amigo Matrix dois dias cerrando o painel deitado numa possivel desgraçada e o braço doía.

Daí, levo o rádio para testar e ninguém sabia fazer o rádio falar e todos dizendo que o rádio tava com a saída de áudio queimada.

Pensei que tinha tomado na tramela do butão. Foi uma verdadeira via sacra em vários caras antigos até que finalmente encontrei o Jão do Som que olhou pro rádio, pegou um pedaço de fio, aterrou a carcaça e o rádio ja caiu na Vanguarda AM.

E também tive que trocar o alto falante original aquele que fica debaixo do painel.

Pensa num diabo filho da puta complicado pra tirar. Aquela precheca me fez cortar o dedo e nesse dia eu tava numa de ressaca do cão e me deu um amarelão catterpillar da cachaça e vomitei as tripas de ficar deitado ali enfiando a cabeça debaixo do painel.

Rodei Ipatinga inteiro pra achar o peste do alto falante e o veio de uma eletrônica só vendia se fosse o par.

Acabei comprando os dois por um valor absurdo e o vagabundo do veio sabia que só ele tinha meteu a faca sem dó.

2016

Fiquei desempregado na metade do ano quando estorou a bomba da vagabunda Dilma. Não fiz nada no carro e cheguei anunciar o carro pra vender.

Quero agradecer de todo o meu coração a dois grandes amigos e irmãos em minha vida:

Emerson e Nathiely: Amo vocês! Que Deus sempre proteja os dois!

2017

Ainda desempregado até metade do ano e rapando o cú com a unha e lutando pra não vender o carro.

E finalmente depois de exatos 364 dias consegui um emprego.

2018

Ainda rapando o cú com a unha reflexo dos anos anteriores. Mal mal trocando óleo, velas e filtro.

A única melhoria que fiz foi a colocação de cabos de vela de silicone.

2019

Em 2019 depois de praticamente 3 anos quebrado igual arroz de terceira, finalmente pude investir um pouco no carro e consegui trocar os discos dianteiros que já estavam na rapa do angú.

2020

Considero esse um dos piores anos que passei. Quando eu pensei que ia melhorar eu piorei!

Enfrentei uma separação que arrancou até o último fio da cueca. Me largou mais liso que bunda de índio.

E por pouco ia ter que vender o Maverick.

E graças ao empenho da galera Maverickeira do Brasil, a campanha “Save My Maverick” foi um sucesso e o apoio que eu recebi de amigos de todos os cantos do Brasil me fez continuar com a minha lenda.

Portanto o que eu que temia aconteceu e novamente voltei a rapar o cú com unha!

Foi um ano de total sofrimento e as coisas que eu tinha previsto pro carro ficaram para o ano seguinte!

Tudo fechado, o povo desesperado com pandemia, todos os encontros cancelados, redução de salário, home office e um escorneamento total.

2º ACIDENTE

E como nada é tão ruim que não possa piorar nesse ano acontece o segundo acidente.

E o pior! O animal que vos fala foi lubrificar por baixo do carro e pintar o tanque e os feixes de mola.

Porém, o mula barranqueira esqueceu de colocar uma marcha no carro e puxar o freio de mão.

Por azar e sorte, meu irmão tinha acabado de chegar e parou a moto dele de frente pro carro.

Pro azar dele o carro saiu arrastando a moto. E por sorte minha se a moto não tivesse lá ele tinha descido atravessado a rua e arrebentado um carro que tava parado de frente ou até entrar no muro da vizinha.

O aperto foi tão grande que demorei umas duas horas para destrancar o osso do butão (aquele corta a bosta).

Estragou o paralama e a saia dianteira do carro e deu comidinho pequeno no aro do farol.

Já a moto do meu irmão quebrou o descanso, quebrou umas capas e empenou outros troços lá.

Tive arrancar dinheiro do rabo pra arrumar e somando moto e carro deu uns 1500 conto.

2021

Já em 2021 as coisas melhoram novamente e com isso pude voltar a atenção para o carro.

E nesse ano comecei outro sofrimento dessa vez com parte eletrica do carro.

A desgraça pelada do arranque começou a dar problema sem parar e mexi naquele diabo umas duas vezes no mesmo ano.

Mandei trocar tudo daquela merda. Troquei induzido, escovas, automatico, bendix e mesmo assim o praga virava pesado e outras horas não dava sinal algum.

Depois de sofrer pra caralho resolvi que era hora de trocar de arranque.

E daí graças aos contatos que adquiri ao longo dos anos com o site, eis que a salvação veio através do nosso amigo o mestre Tio Giuli lá de SP.

Ele conseguiu pra mim um arranque Wapsa antigão que nas palavras dele, virava até motor de avião.

E realmente, depois que troquei esse motor de arranque melhorou 1000%.

Porém, chegando no final do ano me começa outro problema grave e dessa vez na caixa de fusíveis.

E como eu tinha dado prioridade na compra dos 4 pneus do carro deixei pra mexer no ano seguinte.

Também fiz a troca do cabo do freio de mão. O infeliz que inventou aquele sistema cabo de guarda-chuva a mãe dela tava pelada na zona no dia que ele desenvolveu aquilo.

2022

Agora em 2022, ataquei os problemas graves da caixa de fúsiveis.

Conforme já disse, ano passado a desgraça da caixa de fusíveis destampou a queimar fusivel um atrás do outro especialmente do ar condicionado e apagou a luz de teto e não acendeu mais.

Depois descubro que a filha de uma égua de tanto fechar pequenos curtos acabou mandando o meu comutador de  ignição pras pica.

E ainda por causa desses curtos o manometro da gasolina foi pro saco e como não achei no mercado o mesmo manometro na mesma grafia, fui obrigado a montar novamente os manômetros de ponteiro que estavam guardados desde 2012.

E para esse serviço, dois amigos ajudaram.

Para os manômetros, boia do tanque e chave liga/desliga do ar condicionado ficou a cargo do meu amigo André Feinho que hoje mora no USA.

A troca da parte elétrica debaixo do painel e montagem de nova caixa de fusíveis ficou a cargo do meu amigo Felipe da Auto Eletrica Ideal.

Além disso, descubro recentemente que os cabos de silicone também estavam oxidados e fazendo o carro beber mais do que a Moniquinha Tomba Homem aqui do meu bairro.

3º ACIDENTE

E pra iniciar o ano de 2022 em grande estilo mais um acidente pra conta.

Estava voltando da noitada, tinha metido gostoso numa morena aí e quase chegando em casa, me surge um motoqueiro das profundezas do inferno na contramão e só deu tempo de tirar o carro para não matar aquele filhote de satanás.

O filho de rapariga com pedreiro deu uma porretada no retrovisor com a porta e lenhou no asfalto e deve ter lixado até o subaco dele.

Como ele tava errado e eu bêbado, cada um se virou com seu prejuízo e na verdade quem acabou levando na chave do butão foi eu.

Tive que acionar meu amigo Fernando da Sidrax Car para se virar e arrumar e pintar a porta.

Comprei outro retrovisor na Motorpepe – SP e soldo final da brincadeira foi mais 1000 conta pro saco.

Pobre tem que tomar é na emenda do cu pra ficar esperto.

Só espero que pelo menos seja o último do ano.

OUTRAS PRESEPADAS

Até hoje na minha contabilidade constam outros seis prejuizos com pequenos acidentes.

Bicicletas paguei três até hoje.

Uma na padaria do Ideal. O desgraçado deitou um caco de bicicleta atrás do carro, não vi e dei ré passando em cima dela.

A segunda bicicleta do Sô Remundo do Quiabo. Tirei pra esquerda ele também, voltei pra direita ele também e daí não teve jeito. Dei uma porretada no véio e espalhou quiabo pra todo lado e roda traseira do carro passou na metade da bicicleta. Tive que pagar a bicicleta do véio.

A terceira bicicleta foi em Vitória – ES. Eu subi a avenida da praia e vi um caminhão da prefeitura mexendo com asfalto. Porém não imaginava nunca que eles iam fazer um quebra-mola.

Tô voltando devidamente embriagado e dei de cara com um quebra-mola. Como vi que não dava para frear resolvi pular o mesmo. E justo nessa hora me sai um bicicreteiro do inferno achando que eu ia parar para passar o quebra mola e entra na frente. Dei nele uma lenhada e tive que pagar remédio, outra bicicleta e uma semana de trampo do filho de biscate pois ele machucou a mão e mexia com pintura.

Teve ainda uma moto que eu derrubei no centro da cidade e tive que pagar varias peças que quebraram.

E teve também o monza dos pagodeiros de Santa Luzia que eu subi em cima do capu do monza dando ré bêbado igual uma porca safada. Tive que pagar grade, capu, farol e a pintura do carro.

Eu vou escrevendo e lembrando das coisas.

E por último tava indo na casa do PTC (Paulinho Tesoura Caindo) e na subida da rua Palmas apareceu uma gordona puxando três cachorrinhos daqueles pinscher e matei os três numa cajadada só. E claro quebrou a saia dianteira.

A sorte que na época ainda não tava na moda esses frescos “pais de pet” e paguei uma mixaria naquelas merdas.

Foram muitas trapalhadas ao longo desses anos todos.

O FUTURO?

Bom, o futuro somente o Jesus Christ sabe, mas no que depender de mim, irei ainda gastar muito dinheiro nesse carro com certeza.

Vou passar raiva, vou rir, vou carregar fêmeas nele e assim vamos levando a vida.

Só quem é apaixonado por Maverick como eu sabe da alegria e satisfação em dirigir esse carro!

Join Waitlist We will inform you when the product arrives in stock. Please leave your valid email address below.